quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

PDG NÃO APARECE PARA EXPLICAR ATRASOS EM DEBATE NA CÂMARA DE SALVADOR

Dr. Henrique Guimarães faz pronunciamento em defesa dos consumidores

Sem sobressaltos, nem tentativa de impedir a reunião, vereadores e compradores de imóveis da incorporadora PDG realizaram na tarde desta terça-feira, 22, na Câmara de Salvador, uma sessão especial para discutir o atraso na entrega dos apartamentos. A empresa não se fez representar, mas enviou uma carta, colocando-se à disposição para dialogar.
O documento, porém, foi visto como mais um sinal de desrespeito aos consumidores, por parte do grupo imobiliário, pois só repetiu um discurso por demais conhecido pelos adquirentes, sem apresentar justificativas plausíveis para a demora.

“Essa disposição para o diálogo é conversa fiada”, denunciaram os manifestantes, “pois todas as vezes que chegamos lá eles vêm com protelações e continuam nos cobrando taxas ilegais como as ‘chaves’, que só deveriam ser pagas após a emissão do ‘habite-se’ pela Prefeitura”.
De acordo com Nei Menezes, presidente da Associação de Adquirentes dos Empreendimentos IQ e Tamari (AAEIT), boa parte das 1.240 famílias que esperam seus imóveis estão para iniciar o financiamento, mas já estão recebendo a cobrança das “chaves”.
Além disso, as residências em fase mais adiantada de construção apresentam problemas de acabamento, pois estão sendo usados materiais de má qualidade, em comparação com outros apartamentos vendidos pela mesma empresa em Salvador e Região Metropolitana.
Nota pública
Sandoval Guimarães (PMDB), autor do requerimento de transformação da sessão ordinária em especial, juntamente com Vânia Galvão (PT), anunciou para esta quarta-feira, 23, o envio de uma nota oficial, assinada pela Presidência da CMS, para ser publicada na imprensa da capital baiana.
Será um pronunciamento contra a liminar concedida pela Justiça, suspendendo a realização da audiência pública na sexta-feira, 19, considerada por todos os edis como uma interferência indevida do poder judiciário sobre uma das prerrogativas constitucionais do legislativo municipal.
Sandoval voltou a defender a suspensão da emissão de alvarás de construção na cidade para a PDG até ser resolvida a atual situação.
Participaram da sessão, à mesa, Henrique Guimarães (OAB Bahia), Olívia Santana (PCdoB) e Alcindo da Anunciação (PT), estando em plenário também TC Mustafa (PTdoB), Pedrinho Pepê e Everaldo Bispo (PMDB), Jorge Jambeiro (PP), Sabá (PRB), Joceval Rodrigues (PPS), Andréa Mendonça (PV), Aladilce Souza (PCdoB), Alberto Braga e Heber Santana (PSC).
Blog Bahiajá.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário