terça-feira, 4 de setembro de 2012

Atraso em apartamentos gera protesto em Sto.André

sexta-feira, 26 de outubro de 2012 Natália Fernandjes Do Diário do Grande ABC

O atraso de até dois anos para a entrega de apartamentos do Condomínio Residencial Parque Nova Utinga, em Santo André, motivou futuros moradores do espaço a realizar manifestação amanhã. Cerca de 50 famílias se reunirão em frente ao empreendimento, a partir das 9h, munidas de caminhão de som, cartazes e nariz de palhaço para protestar contra a construtora Tríade.

A passeata foi a única forma encontrada pelos proprietários de chamar a atenção para o problema que se arrasta desde 2010, data prevista para a entrega das primeiras unidades. O analista de sistemas Silvio Carvalho, 36 anos, adquiriu com a noiva imóvel no Bloco B, no valor de R$ 170 mil em 2008. Eles planejavam se casar assim que a unidade fosse entregue. "O atraso está adiando nosso casamento e o sonho da casa própria".

O empreendimento imobiliário prevê erguer cinco torres, com 480 unidades. "Não podemos sequer entrar no condomínio para verificar a situação das obras", reclama o empresário André Ridolfi, 38. O imóvel adquirido por ele fica no Bloco C e deveria ter sido entregue em junho de 2011.

Outro que enfrenta dificuldade é o projetista mecânico Douglas Nunes, 30. Desde que adquiriu apartamento no bloco B, em 2009, precisou adiar o casamento três vezes, tendo em vista que não foi respeitada a data de entrega, prometida inicialmente para janeiro de 2011.

Procurada, a construtora Tríade declarou que reserva o direito de se entender diretamente com os interessados. Além disso, informou estar disposta a atender individualmente clientes que estejam insatisfeitos com a situação e cancelar a venda, de acordo com os termos contratados.

JUSTIÇA



Nem sempre a tarefa do Procon (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor) de tentar negociação entre as partes envolvidas em um problema implica em resultado positivo. Nesses casos, a alternativa indicada pela diretora do Procon de Santo André, Ana Paula Moraes Satcheki, é que o consumidor apele para o Judiciário. "O prazo para entrega da obra é préestabelecido pela construtora e não há justificativa para atrasos".

Para evitar problemas, Ana Paula orienta que o consumidor verifique a idoneidade da construtora antes da aquisição do imóvel, bem como se já foram feitas reclamações em Procons. Antes de firmar contrato, a recomendação é procurar ajuda de uma assessoria jurídica de confiança e esgotar todas as dúvidas relacionadas a pagamentos e prazos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário